Lista de 11 funções de teste lógico no Excel

Publicado em 18/06/2017 | () comentários


O Excel possui diversas funções, porém, além de ser a função mais conhecida, o SE também é a única função que executa um teste lógico, ou seja, correspondente ao IF em linguagens de programação, o SE realiza um teste e se o resultado do teste for verdadeiro, executa algo, se for falso, executa outra coisa. Caso tenha dúvidas sobre a função SE, entenda melhor clicando aqui.

Para executar o teste lógico, o Excel dispõe de diversas funções que nos ajudam a facilitar este trabalho. Conheça abaixo as 11 funções que irão te ajudar nesta tarefa, e mais algumas funções agregadas auxiliares ao teste lógico.

É.NÃO.DISP

A função É.NÃO.DISP verifica se o valor da célula é o erro #N/D. O erro #N/D é comum quando se utiliza o PROCV.


No exemplo acima procuramos com PROCV na tabela B o nome existente na tabela A. Os nomes procurados que não existem na tabela B resultam no erro #N/D. Na coluna C, em "Observações", inserimos a função É.NÃO.DISP. Quando ocorrer o erro, será apresentado o valor VERDADEIRO, quando não ocorrer erro será apresentado o valor FALSO.

ÉNÚM

Verifica se o valor da célula é número. Caso seja número, apresenta VERDADEIRO, caso não seja número apresenta FALSO.


É.NÃO.TEXTO

Verifica se o valor da célula não é texto. Caso não seja texto apresenta VERDADEIRO, caso seja texto apresenta FALSO.
O resultado é muito parecido com a fórmula ÉNÚM, afinal, o que não for texto, teoricamente é número, porém, considere uma célula vazia, ela não é texto e não é número, logo É.NÃO.TEXTO é a função utilizada.

ÉTEXTO

Verifica se o valor da célula é texto. Caso seja texto, apresenta o valor VERDADEIRO, caso não seja texto, apresenta FALSO. Considere como texto todos os caracteres especiais, letras e espaços.


ÉCÉL.VAZIA

Verifica se a célula está vazia. Caso esteja vazia, apresenta VERDADEIRO, caso não, apresenta FALSO. Células com espaços ou caracteres não imprimíveis não são consideradas vazias.


ÉERRO

Verifica se o valor da célula é um erro, com exceção do erro #N/D. Caso a célula possua os dos erros desta lista, exceto o #N/D, é apresentado VERDADEIRO, caso contrário apresenta FALSO


ÉERROS

Esta função executa a mesma ação que ÉERRO, porém inclui na verificação erro #N/D. Caso a célula possua qualquer erro é apresentado VERDADEIRO, caso contrário apresenta FALSO


ÉFÓRMULA

Verifica se a célula possui alguma fórmula. Caso possua apresenta VERDADEIRO, caso contrário apresenta FALSO


ÉIMPAR

Verifica se o número da célula é impar, caso seja apresenta VERDADEIRO, caso contrário apresenta FALSO


ÉPAR

Verifica se o número é par, caso seja, apresenta VERDADEIRO, caso contrário apresenta FALSO

ÉLÓGICO

Verifica se na célula existe um teste lógico, ou seja, caso a célula possua uma das funções listadas neste artigo, o resultado desta função será VERDADEIRO, caso contrário será FALSO


VERDADEIRO e FALSO

Após realizar o teste lógico com a função SE, você pode apresentar como resultado a função VERDADEIRO ou a função FALSO.



NÃO

Inverte o resultado do teste lógico de VERDADEIRO para FALSO e de FALSO para VERDADEIRO.

Os testes lógicos são úteis na elaboração de fórmulas de comparação e verificação de dados. Conheça nossas planilhas completas que auxiliam suas tarefas e rotinas diárias.

3 passos para se tornar uma pessoa mais organizada

Publicado em 09/06/2017 | () comentários


Uma pessoa organizada possui facilidade de se destacar, pois a organização contribui muito na otimização da rotina de trabalho.  Seja organizar ideias ou documentos em um arquivo, as práticas da organização vão muito além da tarefa de "colocar as coisas no lugar". 

Se você se considera organizado, observe sua mesa de trabalho, a pasta "documentos" do seu computador, sua gaveta, sua maleta de ferramentas e pergunte-se: "outra pessoa teria facilidade de encontrar algo aqui?"

1. Busque identificar padrões

Além de prover todas as nossas funções motoras e psicológicas do corpo, o cérebro também é um mantenedor de si mesmo e busca de todas as formas organizar as informações de maneira a poupar energia. Ele o faz identificando padrões. O cérebro busca sempre um padrão em tudo aquilo que vemos, ouvimos ou sentimos e armazena a informação de forma a facilitar sua busca (indexação), quando necessário.


Não é atoa que você encontra um rosto em uma formação de nuvens. Quando isso acontece é seu cérebro buscando algo que já está armazenado em sua memória e trazendo similaridade a consciência, tornando desnecessária a absorção ou entendimento de uma nova forma, o que custaria energia, pois seria uma nova informação.

Colocando este método biológico na vida prática, passe a enxergar as coisas da mesma maneira, busque identificar padrões e se acostumar com esta prática:

Padrões visuais

Sempre que tiver que criar algo novo, procure pensar se já não fez algum material semelhante e pode reutilizá-lo. Importante para que isso seja possível é passar a criar um padrão visual em tudo que você produzir, algo como "deixar a sua marca". Você passará a criar coisas a partir de outras existentes, não deixando de lado a criatividade.

Padrões auditivos

A brincadeira "qual é a música" é bem parecida com o método, pois sempre que você ouvir o trecho de uma música logo irá se lembrar do restante. Busque aplicar esta técnica em conversas, reuniões e palestras, identificando padrões de trechos ouvidos e assemelhando a coisas que você já conhece, como músicas, trechos de livros ou outras palestras. Fazendo isto o seu cérebro cria pontes mentais de memória entre assuntos diversos.

2. Crie padrões

Identificar padrões pode parecer algo simples, porém exige dedicação e atenção. O hábito te tornará em um multiplicador de padrões, mas também um criador de novos padrões. Lembre-se que padrão não significa uma ideia fixa e "travada", mas sim algo organizado e que pode ser facilmente reproduzido. 

Seja criativo e crie novos padrões 

O fato é que precisamos de padrões. Imagine se cada casa tivesse um modelo de tomada diferente? A NBR criou novos padrões de tomadas em 2010 que causou um grande alvoroço. A mudança acontece até hoje e vai levar ainda décadas para efetivamente afetas a todos, porém, foi necessária. O novo padrão de tomadas possui apenas 3 modelos, diferente do padrão antigo que possuía aproximadamente 10 modelos e novos sempre surgiam.


Agrupe

Agrupe coisas, categorize tudo. separe por tipo, tamanho, cores. Veja sua gaveta de vez em quanto, separe os objetos buscando deixá-los juntos por agrupamento. Organize sua mesa da mesma maneira. Organize seu guarda-roupas, seu armário. Você precisa fazer isto pelo menos uma vez e verá a diferença que é viver em um ambiente organizado.

Separe 1 hora do dia em 1 dia da semana, de preferência na sexta-feira e organize seu escritório. Utilize pastas, grampos, clipes, separadores, divisores e marcadores de página. 

Mesa cheia de papel não significa trabalho, mas desorganização

Organize as pastas e arquivos do seu computador. Busque agrupar por assunto seus arquivos. Diferente do que imagina, você não deixará de lembrar onde eles estão, no início pode parecer complicado, mas com o tempo você ganhará um tempo tremendo encontrando rapidamente seus arquivos.

Descarte o que não for necessário, delete, jogue fora, limpe a lixeira e jogue as canetas sem tinta fora. A limpeza torna o ambiente mais agradável, "clean"

Abstraia

A abstração é o segredo para não estressar e tornar algo mais legível. Abstrair demais torna a comunicação impossível, abstrair muito pouco é indiferente e causa ruídos, mas a abstração moderada é boa.


A abstração é a técnica de descartar o excesso de informação sem perder as características principais. Quando for organizar sua mesa, por exemplo, não adianta tentar agrupar cada mínimo objeto em categorias distintas. Não é possível agrupar clipes, cartão visita, canetas, bloco de notas, fita adesivae grampeador separadamente. Pense em grupos maiores como "escrita", agrupando lápis, borracha, caneta, etc. Pense em "contatos" agrupando cartões de visita, seu crachá, celular, etc. 

Olhar o caos e buscar identificar um grupo só pode ser possível abstraindo-se do excesso de informação e buscando equilíbrio entre o menor grupo e o maior grupo possível.

3.Experimente uma nova maneira de fazer as coisas

Tarefas, pastas, documentos, papéis, e-mails, reuniões, anotações, notas, etc. Junte tudo isto e terá um conjunto de coisas que acabam fugindo do controle quando mal organizadas. Você pode ser um ótimo gestor, mas se não é organizado você terá sérios problemas. Não confie demais na memória, porém não a torne preguiçosa. 

Utilize uma agenda eletrônica

Google Calendar - além de sincronizar com o celular e emitir alertas, o calendário possui widgets de área de trabalho, assim em uma das páginas da área de trabalho do celular a agenda fica visível, para que, sempre que ver o celular, você veja a sua agenda.

O Google Calendar ainda sincroniza com o Waze e Google Now, assim o Android avisa antecipadamente (considerando o trânsito) o horário que você deve sair para chegar a tempo ao evento.

Utilize um gerenciador de tarefas

Kanbanflow - ótima ferramenta gratuita, utilizando do simples conceito "To do, today, in progress, done", torna muito fácil gerenciar suas tarefas. Utilize o Kanban para listar tudo que tem a fazer, arrastando entre as colunas conforme o andamento das tarefas. Defina as cores como prioridades.

Trello - semelhante ao Kanbanflow, o Trello possui a vantagem de possui aplicativo móvel.

Não crie pastas de e-mail, utilize o controle de tarefas do Outlook

Se você utiliza muito o e-mail para se comunicar e já gerencia suas demandas por ele, não crie aquelas inúmeras pastas de e-mail para organizar o que tem a fazer, pois estas pastas mais atrapalham do que ajudam. Talvez você não saiba, mas o Outlook possui embutido uma funcionalidade de gerenciamento de tarefas. 

Para utilizá-la, basta sinalizar (bandeira vermelha) o e-mail que precisa ser lembrado e ao concluir, basta clicar no check para finalizar a tarefa.

Para visualizar suas tarefas, basta exibir a barra de tarefas clicando em Exibir > Barra de tarefas pendentes > Tarefas


Evite papel, utilize o Google Keep

O Google Keep é um bloco de notas eletrônico que pode ser instalado em seu celular. Ele permite que você crie notas de texto, listas, fotos e áudio. O Keep também emite alertas e lembretes, que sincronizam com o Google Calendar. Você pode compartilhar uma nota (lista de supermercados por exemplo) com várias pessoas que podem colaborar na lista.

Tudo sobre a função ARRUMAR

Publicado em 06/06/2017 | () comentários

O Excel possui funções pouco conhecidas, mas muito úteis. Uma destas funções é a função ARRUMAR. A função arrumar possui a única finalidade de remover excesso de espaços em uma frase, porém, mantendo os espaços simples entre as palavras

Declaração da função

A função ARRUMAR é declarada da seguinte maneira

=ARRUMAR(texto)

O argumento TEXTO é a célula que possui o texto desejado a ser arrumado, ou seja, removido os excessos de espaços.

Exemplo prático

Esta função é muito útil quando se deseja remover o excesso de espaços de um intervalo de células. No exemplo abaixo temos um intervalo de 3 linhas contendo estados brasileiros (A1:A3) com excesso de espaços entre as palavras. No intervalo B1:B3 inserimos a função ARRUMAR linha a linha. O resultado será o nome dos estados com espaços simples


Veja mais aplicações da função ARRUMAR clicando aqui

Quantos slides deve ter uma apresentação?

Publicado em 16/04/2017 | () comentários

Uma apresentação feita com slides conduz o apresentador e os expectadores a uma linha de raciocínio com início, meio e fim de determinado assunto, porém, quando uma apresentação é criada, com receio de não abordar todo o conteúdo, peca-se no excesso. A quantidade de slides extrapola o limite adequado fazendo com que o objetivo de se passar uma mensagem seja perdido.

Por mais interessado que o expectador esteja o cérebro sempre se fadiga e a distração entra em cena.


A quantidade ideal

Um número ideal de slides varia, dependendo de dois fatores:

  1. Tempo
  2. Assunto

Veja que, independente de seu público, estes são os fatores mais importantes. Se o tempo é curto, seja breve, utilize poucos slides e pouco texto. Geralmente, em uma apresentação de 30 minutos, 9 slides é um número consideravelmente suficiente. Para apresentações de 60 minutos, de 9 a 14 slides.

Se você abordar um assunto novo ou de conhecimento dos presentes, seja sucinto, utilizando poucos slides, pouco texto e muitos gráficos (imagens, gráficos, etc). Você deverá conduzir a apresentação com a fala utilizando os slides como apoio mental e pausa para reflexão, aumentando o interesse e a concentração, fazendo com que os presentes associem o que você fala a uma imagem.

Como criar um intervalo de datas desconsiderando os finais de semana

Publicado em 19/03/2017 | () comentários

Nesta postagem iremos criar um intervalo de datas ocultado os finais de semana.

O intervalo será uma lista de datas crescentes a partir da data de hoje. Para este efeito, utilizaremos as funções SE e DIA.DA.SEMANA em conjunto. A fórmula é a seguinte:

=SE(DIA.DA.SEMANA(A2;1)=6;A2+3;A2+1)

Considerando que a fórmula está na célula A3, ficaria da seguinte maneira:

=SE o dia da semana da célula de cima (no caso A2) for sexta-feira (6), somo a célula de cima com 3, se não for, somo com 1 para aumentar um dia.


Com isso, basta arrastar a fórmula para baixo que a lista de datas irá desconsiderar os finais de semana

A coluna B apresenta o dia da semana por extenso, para demonstrar o resultado

Baixe aqui a planilha pronta, saiba mais da função DIA.DA.SEMANA clicando aqui.

Tudo sobre a função DIA.DA.SEMANA

Publicado em 15/03/2017 | () comentários

A função DIA.DA.SEMANA do Excel retorna, a partir de uma referência de data, o dia da semana que a data representa, considerando o parâmetro tipo de retorno, por exemplo, se você decide que o retorno será 1 para Domingo e 7 para Sábado, ao apresentar a data 10/03/2017, o Excel mostrará o número 6, pois esta data cai em uma Sexta-feira, pois:

  1. Domingo
  2. Segunda-feira
  3. Terça-feira
  4. Quarta-feira
  5. Quinta-feira
  6. Sexta-feira
  7. Sábado

Declaração da função

A função DIA.DA.SEMANA é declarada da seguinte maneira:

=DIA.DA.SEMANA(núm_série; [retornar_tipo])
núm_sérieReferência que contém o valor de data de onde deseja-se retornar o dia da semana que a data representa. O núm_série pode ser uma referência de célula, nome, ou mesmo uma data inserida entre aspas duplas
[retornar_tipo]

Define qual número será retornado para cada dia da semana. As opções são as seguintes:

1. Números de 1(domingo) a 7(sábado)

2. Números de 1(segunda-feira) a 7(domingo)

3 - Números de 0(segunda-feira) a 7(domingo)

11. Números 1(segunda-feira) a 7(domingo)

12. Números 1(terça-feira) a 7(segunda-feira)

13. Números 1(quarta-feira) a 7(terça-feira)

14. Números 1(quinta-feira) a 7(terça-feira)

15. Números 1(quinta-feira) a 7(quarta-feira)

16. Números 1(sábado) a 7(sexta-feira)

17. Números 1(domingo) a 7(sábado)

Exemplo prático

No exemplo abaixo, iremos ocultar os finais de semana de uma lista de datas crescentes a partir da data de hoje. Para este efeito, utilizaremos as funções SE e DIA.DA.SEMANA em conjunto. A fórmula é a seguinte:

=SE(DIA.DA.SEMANA(A2;1)=6;A2+3;A2+1)

Considerando que a fórmula está na célula A3, ficaria da seguinte maneira:

=SE o dia da semana da célula de cima (no caso A2) for sexta-feira (6), somo a célula de cima com 3, se não for, somo com 1 para aumentar um dia.


Com isso, basta arrastar a fórmula para baixo que a lista de datas irá desconsiderar os finais de semana

A coluna B apresenta o dia da semana por extenso, para demonstrar o resultado

Baixe aqui a planilha pronta

Tudo sobre a função SEERRO

Publicado em 04/03/2017 | () comentários

A função SEERRO trata um erro causado pela fórmula criada no Excel, ou seja, caso sua fórmula resulte em erro, você pode apresentar qualquer outra informação.

Entenda aqui os erros do Excel e como resolvê-los

Declarando a função

A função SEERRO possui a seguinte sintaxe

=SEERRO(valor; valor_se_erro)
valorReferência ou fórmula completa que resulta em erro
valor_se_erroValor apresentado caso algum erro ocorra quando a fórmula é calculada

Exemplo prático

No exemplo abaixo estamos realizando um cálculo na célula C1 que resultará em erro, estamos dividindo 1 por 0


Agora estamos envolvendo a fórmula pela função SEERRO, apresentando vazio (aspas duplas "") caso algum erro aconteça

O resultado da fórmula é vazio, pois resultará em erro. Caso nenhum erro aconteça, o resultado original da fórmula será apresentado normalmente.

Tabela de erros do Excel, seus significados e como resolvê-los

Publicado em 02/03/2017 | () comentários

Para entender o funcionamento da função, vamos entender os tipos de erros do Excel

Tipos de erro do Excel

#####

  1. O valor resultante de uma fórmula ou inserido na célula é grande demais para ser apresentado. Para resolver, aumente a largura da célula
  2. A subtração da data ou hora resultou em valor negativo. Para resolver, altere a configuração do Excel habilitando o formato de data 1904
#DIV/0!
  1. Sua fórmula está dividindo um número por zero
#NOME?
  1. Sua fórmula possui um texto sem aspas
  2. Sua fórmula não possui dois pontos (:) necessários na referência
#VALOR!
  1. Sua fórmula possui um cálculo matemático com valores de texto. Converta o valor para número
  2. Sua fórmula possui mais referências do que o esperado
#REF!
  1. Você apagou células (ou planilhas, nomes, tabelas) que faziam parte de uma fórmula
#N/D
  1. Seu cálculo não possui informação de resultado disponível. Por exemplo, sua função PROCV está procurando um valor que não existe na matriz procurada.
#NUM!
  1. Sua fórmula possui argumentos inválidos para a função
  2. A função não obteve resultado
  3. O resultado da sua fórmula é grande demais para ser apresentado
#NULO!
  1. Sua fórmula possui um operador ou referência inválido

Tratando os erros no Excel

Para tratar o erro e apresentar outra informação no lugar do código do erro, basta utilizar a função SEERRO

Categoria: excel fórmula

Tudo sobre a função CORRESP

Publicado em 28/02/2017 | () comentários

A função CORRESP do Excel, procura um determinado valor em uma matriz e retorna sua posição em relação a matriz selecionada, sendo o número da linha ou da coluna em que o valor se encontra, ou seja, se você deseja procurar em uma lista de estados brasileiros, o estado de São Paulo, com a função CORRESP você 

Mais sobre a função

  1. Não faz distinção entre maiúscula e minúscula e faz a busca de qualquer valor (números, texto ou caracteres especiais)
  2. Realiza a busca da posição tanto na horizontal, quanto na vertical
  3. Apesar de buscar em uma matriz, a mesma não pode ter ao mesmo tempo múltiplas linhas e colunas

Declaração da função

A função CORRESP é declarada com os seguintes argumentos

=CORRESP(valor_procurado, matriz_procurada, [tipo_correspondência])
valor_procuradoRepresenta o valor a ser procurado na matriz que será referenciada
matriz_procuradaMatriz ou intervalo que contém valores que serão procurados pela função
[tipo_correspondência]

Representa o tipo de busca que será realizada na matriz. Existem 3 formas que realizar a busca do valor procurado:

1 - É menor do que (ou não especificado) - garante que a busca irá retornar somente se os valores menores ou iguais ao valor_procurado. Para esta opção funcionar a matriz precisa estar em ordem crescente

0 - Correspondência exata - realiza a busca na matriz de valores exatamente iguais ao valor procurado

-1 - É maior do que - realiza a busca de valores maiores ou iguais ao valor_procurado. Para esta opção funcionar, a matriz precisa estar em ordem decrescente.

Exemplo prático

Em nosso exemplo iremos identificar a posição do estado de São Paulo, em uma lista de estados brasileiros

O resultado apresentado será 25, pois "São Paulo" está na 25ª posição do intervalo

A função ficou declarada da seguinte forma:

=CORRESP("São Paulo";C1:C27;0)

Procuramos a palavra "São Paulo" no intervalo C1:C27 desde que este seja exatamente igual ao valor procurado 

Como criar SQL de INSERT de dados em uma tabela utilizando o Excel

Publicado em 18/02/2017 | () comentários

As vezes, durante uma atividade de desenvolvimento, você precisa inserir em uma tabela específica uma quantidade relevante de informações. Para que isso seja feito é necessário criar um script SQL que será executado pelo DBA no banco de dados. A fim de agilizar este processo os desenvolvedores, quando não fazem "na unha", criam o script com o auxílio do Excel.

Neste tutorial, além de aprender a criar de forma rápida o script, você ainda pode fazer download da planilha de criação em seu computador e utilizar livremente.

O comando SQL para inserção de dados na tabela

Para inserir dados em uma tabela, o comando é:

INSERT INTO table_name (column1,column2,column3,...)
VALUES (value1,value2,value3,...);

Com este comando a lógica é simples. Definimos a tabela e as colunas da tabela onde iremos inserir os dados e relacionamos em VALUES todos os dados que serão inseridos

A título de exemplo, iremos inserir em uma tabela chamada tab_cidades os valores de três colunas:

  1. IBGE
  2. DDD
  3. NOME

Criando a fórmula que gera o SQL utilizando a função UNIRTEXTO

Com as informações no Excel, considerando que as colunas possuam o mesmo nome das colunas da tabela que iremos inserir, iremos utilizar a função UNIRTEXTO do Excel. Execute o seguinte procedimento:

1. Transforme todo o intervalo da planilha em uma Tabela


2. Crie uma nova coluna à direita com o nome SQL


3. Na primeira linha da coluna SQL escreva a fórmula abaixo e arraste para todas as outras abaixo:

="("""&UNIRTEXTO(""",""";FALSO;A2:C2)&"""),"

Entenda a fórmula:

Na fórmula utilizamos o & para concatenar um parênteses e uma aspas dupla no início e no fim de cada valor de cada coluna do intervalo definido em A2:C2 e separamos cada valor com uma vírgula. As aspas duplas são repetidas 3 vezes para que o Excel interprete-as como um caractere. 

Definindo a tabela e as colunas onde os dados serão inseridos

Certifique-se que exista uma tabela em seu banco chamada tab_cidades contendo as colunas IBGE, DDD e NOME, ou adapte os nomes sugeridos.

1. No editor de SQL, escreva o comando abaixo definindo em quais colunas iremos inserir as informações:

INSERT INTO tab_cidades(IBGE,DDD,NOME VALUES

2. Ainda no editor SQL, quebre uma linha após VALUES, copie e cole a coluna SQL inteira do Excel


3. Apague a última vírgula que está na última linha colada


4. Execute o script no banco e pronto. Você inseriu todos os registros na tabela e poderá utilizar este mesmo recurso quantas vezes desejar

Adaptando a planilha para novas inserções

Basta inserir novas colunas que a fórmula irá se ajustar automaticamente, em seguida execute o mesmo procedimento, colando os dados da coluna SQL em seu editor e executando

Faça download da planilha clicando aqui